sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

As vezes eu paro e me pergunto:
Por que têm que ser assim?!
Uns passam, outros ficam...
Uns riem, outros choram...

As vezes acho que minha estrela passou e esqueceu de me avisar.
Outras vezes, conserto a luneta e vejo que tudo não passou de um direcionamento mal feito que eu fiz.

Mas, enquanto minha vez não chega, procurarei olhar para o céu e encontrar nessa dimensão o espaço determinado para mim.

(pensamentos, pensamentos, pensamentos... eles não saem de mim)


Égila Passos.

sábado, 10 de outubro de 2009

Sinto uma ausência,
Um vazio repentino.
Queria um afago, o envolver de seus braços,
Queria você!
Sentada no centro do meu quarto, contemplo a solidão interior...
Meus pensamentos se confundem em meio aos ruídos, as palavras, os chamados.....Não! Preciso não pensar.
Quero o som em repouso!
Quero o silêncio!
Faço-me casulo, distante de tudo que ai fora.
Eu quero...
quero...
quero...
Não sei dizer exatamente o que sinto...
Somente queria a sua presença.


Égila Passos

domingo, 4 de outubro de 2009

Sussurros


Falo-te baixinho.

As palavras soam na leves

Mas, não traduzem em som

As ondas que ecoa em mim numa súbita rapidez!

Meu coração dispara, trepida

Minha respiração acompanha o ritmo da batida.

Minhas mãos, meus pés gélidos - tradução do nervosismo.

Meus lábios sedentos, ardentes - antítese da inquietação,

Queima em si a vontade,

O desejo, de um encontro, dessa louca sedução.

Por isso, falo-te baixinho...




Égila Passos.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

VéSpErA...


... de lua cheia, de um encontro, de uma partida, da não despedida.


VéSpErA...

... do cingir que causa um arrepio, de um toque mais sutil, da fala de um olhar.


VéSpErA...


... de palavras soltas, concordâncias loucas, brincadeiras bobas?! Alegrias envoltas de duas pessoas a celebrar.


VéSpErA...

... de um beijo interrompido por aquele que não para, que obedece a quimera do existir, o que alimenta a certeza de que o porvir poderá ser melhor: o TEMPO


...
(ainda não terminou, fomos só pegos pelo cursor da vida)


Égila Passos.

sábado, 20 de junho de 2009


Quero sair do quadrado que me limita

Quero brincar, pular, correr...

Independente do que determinam ou supõe ser a felicidade...

Quero o cheiro das flores!

A sonoridade dos passarinhos!

A veracidade do sorriso de uma criança!

Quero cantar!

Desafinar...

... mas ser feliz!

Não quero me limitar a situação de alguns viventes que hoje sofrem com a melancolia de que poderia ser mais...

Mais alegres!

Mais ousados!

Mais, mais, mais...


Eu tenho o suficiente para amar, sorrir, chorar – por que não, há choros de alegria!

Quero ao menos não olhar para trás e ver que a estrada a qual desenhei, não foi calcada somente de tristezas, dor, melancolia... eu andei por entre flores, amores e principalmente ALEGRIAS!



Égila Passos.

domingo, 7 de junho de 2009

_________________________________

Confesso que te abandonei.

Longe estive.

...

Meu relógio não parava de rodar

Mas o ponteiro não marcava VOCÊ

Que enche os espaços vazios

De códigos, metáforas,

Devaneios,

Aventuras,

Sonhos.

Declaro...

...desvendar pensamentos com palavras

Ou às vezes aventurar explicitar

O que por si só é implícito,

Torna-se tão difícil

Por isso, prefiro

SENTIR!

SINTO

Quero fazer de minha vida uma explosão de confetes!


Brincar com as cores.

Ousar,

Reinventar,

Renovar.

Em cada quadro da vida,

Pincelar de alegria até mesmo os momentos triste.

COLORIR O QUE ESTAR EM ESCALA DE CINZA E BRANCO.



Égila Passos.


quarta-feira, 13 de maio de 2009

Na rua...

Parei...

Escrevi...

Pensei em você muito mais que ontem e muito menos que amanhã...

É noite de luar...

Nossos olhares sempre estavam envoltos.

Saudades?

Não sei?

Talvez...

Tristeza?

Tento não sentir...

...

Égila Passos.

P.S: Devaneios, desabafos que tento fazer... minhas reticencias sinais de silêncio.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Chove

"Agora já é hora dessa chuva ir embora"



Fria noite!
Frio corpo!
Fria água!

Lá fora, vasto mundo!

Aqui dentro inabitado universo!

...

Dois corações.

Duas almas.

Dois mundos.

Disparidades.

A antítese.

...

Você e Eu!

A troca mais constante!

O olhar mais intenso!

O beijo mais queimante!

...

A fala abrasadora...

O toque mais sutil...

O arrepio mais frio de uma noite de inverno...


Égila Passos.



sábado, 7 de março de 2009

Revelação


Como a maçã cai da macieira,

Obedecendo a força de atração mútua que os corpos exercem um sobre o outro,

Descrevendo a lei gravitacional do universo.

Tudo tende ao chão...

Em meio as minhas metáforas a máscara também há de cair...

Mas não me refiro a esta que pode ser comprada...

Refiro-me a que trazes em seu rosto, na sua derme,

Ou será na sua pele?

Nessas interfaces em que se vê!

Por que se esconder!?

O ser humano possui a imensa necessidade de criar imagens,

De criar mundos em volta de um EU.

De ser aquela imagem...

Estamos aprisionados numa ótica do ver.


Quem é você?

Uma imagem...

Um ser pela metade...

Carregando em si a mentira de ocultar um todo,

Fragmentos de um Ser!

Égila Passos.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Quando eu aprendi...


... que muitas pessoas gostariam de ser felizes, mas as diversidades da vida os fazem tristes, eu valorizei a importância de sorrir. Eu tenho o suficiente para ser FELIZ!

Quando eu aprendi que a perfeição habita na simplicidade, eu acreditei ainda mais Naquele que alguns chamam de Jah, Alá e eu o chamo de Deus.

Quando eu aprendi que falar nem sempre traz paz, eu ofertei o meu silêncio.

Quando eu aprendi que muitos precisam somente de um pouco de atenção, eu dei o meu tempo a ouvi-los.

Quando eu aprendi que o melhor amigo pode está na família, eu enxerguei a minha mãe.

Quando eu aprendi que amar vai além da fronteira do gostar, eu vi que presentes nem sempre são demonstrações verdadeiras do amor. Que o carinho, a atenção, o simples querer estar com a pessoa amada faz o real presente.

Quando eu aprendi que fazer planos futuros nem sempre é mais correto, a si tratar principalmente de relacionamentos. Eu vi então, que a estrada do amanhã se constrói no hoje e o por vir é somente reflexo do passado.

Quando eu aprendi que a pessoa a qual você se importa, ela simplesmente não poderá se importar com você, eu vi que o amor próprio é o primeiro passo em busca da felicidade!

Estou a viver uma nova era, a da paz e do amor!

Tudo se fez novo.

Não deixei de amar, somente aprendi a dar uma nova exterioridade a este sentimento que faz parte de mim!


Égila Passos.




domingo, 15 de fevereiro de 2009

"Seja o que você quer ser"



Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? Eu adoro voar!
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre.

Clarice Lispector


Ps: Sou apaixonada por Clarice, as suas ideias, sua forma impar de escrever, seu jeito próprio, entao, rendo-me a homenageá-la.


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Me sinto...


As vezes um anjo,
desprovida de suas características físicas,
mas n'alma um ser que protege.
As vezes "mãe", com o seu afago,
mas também minha repressão.
As vezes menina,
o tempo da inocência aflora em meu ser.
As vezes uma constante mulher,
a cada passou uma descoberta,
a cada encontro uma partida,
a cada amores
o vento da experiência sopra sobre mim.

Me sinto...
...as vezes um ser que passa.
As vezes uma filha,
nos atos os quais me revelam.
As vezes utópica,
minhas idéias vão além da minha civilização.
As vezes realista,
mas o meu real não é a sua realidade.

Me sentir...
... usada,
as vezes amada,
tudo não passou de um castelo de ilusão,
que num processo de erosão eólica foi se desfazendo...

Hoje Égila.
O meu refúgio é o meu EU.
É aqui que eu me sinto.


Égila Passos.


domingo, 8 de fevereiro de 2009

Estou a pensar...





Não estou aqui. Tenho tido turbilhões de ideias, de pensamentos, mas as vezes ocorre um lapso e tudo se faz novo, meu pensamento fugaz, não quer ser transcrito
para o meu memex...




Égila Passos.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Passa...


Eu não estou só

Meus pensamentos me fazem companhia.

As lágrimas estas gotículas cristalinas,

Borram as palavras que me acompanham.

Elas desenham um percurso em meu rosto

E chegam ao seu destino final.

Tudo tem o seu fim...

Nada é para sempre.

Por maior que seja o amor, existe o findar da vida.

Os olhos se fecham...

E a vida, esta pluma dos mais belos cisnes,

Em meio a um sopro transforma-se em um enigma,

No levar dos ventos.

Mistérios sempre estão em volta.

O vento fresco da noite de verão me leva ao céu.

Nas estrelas me perco em seu brilho.

Vista a olho nu parecem pequenas.

Meteoros que também hão de cair.

EU, humano, faço-me também estrela,

Tenho meu brilho

E a vida é o meu céu.

Sou cadente,

Direciono a vida de alguém,

Mas passo!

Tudo passa!

Vida efêmera!


“But touch my tears with your lips/Touch my world with your fingertips/And we can have forever/And we can love forever/Forever is our today…”


Égila Passos.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Dis - paridade

Em todos os sentidos da vida,
Existe uma via de mão dupla.
Seja na amizade ou no amor,
O fluxo desses relacionamentos é movido pelas diferenças que os atraem.
As disparidades que nos une,
É a antítese que nos separa.
Eu!
Você!
Disparidades?

DIs-PA-rI-Da-dEs


Égila Passos.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Ao futuro


Eu sonho com você amor!

O dia que caminharemos juntos, lado a lado, desfrutando do tempo da vida.

Saber que em cima das nossas diferenças, construiremos o nosso altar.

“Dizer não a mim e sim a nós dois”

Quebrar a exatidão da matemática,

Eu e você somados seremos um,

Um só sentimento,

Uma só carne,

O amor!

Sonho em tê-lo inteiramente

E dividir o nosso tempo juntos,

Com os mais devaneios pensamentos

Produto das nossas fantasias.

Viver uma quimera.

Ver-me em sua retina,

Chamar-me de sua menina,

Em teu colo me deitar.

Eu fecho meus olhos

E posso sentir você bem perto de mim,

Sua respiração confunde-se com a minha

O seu olhar é o meu olhar.

Sentir-te,

Torna-se o meu maior deleite.

Adentrar nos seus mais ínfimos pensamentos,

Desvendar segredos

Construirmos um novo mundo.

Minha mente me rouba nesses súbitos pensamentos

E me faz vê a sua presença carne em meu viver.

Meus olhos se fixam no horizonte,

A espera de alguém que também estas a me procurar,

O vento me abraça,

E nele posso sentir o seu cingir

Se soubesse que estou aqui,

O que você faria?!

A vida nos proporcionará o mais inusitado encontro

E, enquanto o universo das palavras incidir sobre mim,

Estarei a grafar a nossa história no livro da minha existência.


Égila Passos.